0 votos
Sou nova na religião, aproximadamente um ano, no desenvolvimento mediúnico apenas 5 meses, pois bem, as entidades que trabalharão comigo ainda não deram nome e nem fundamentos, e meu "medo" é em relação aos fumos que são utilizados pelas entidades.

Já li que quando o médium não gostaria de fazer uso dos fumos, a entidade respeita esse livre arbítrio,e eu entendo que  esse elemento é de importância para os trabalhos, mas mesmo assim tenho receio, pois além de não ser fumante, sou totalmente contra , pois minha mãe desencarnou com câncer devido a ser fumante (entre outras coisas), tenho verdadeiro "asco", não chego nem perto de maços de cigarros, como se fosse uma fobia mesmo devido a esse trauma.Me preocupo quando chegar o momento das entidades darem seus fundamentos, pois sou consciente e temo "desagrada los" ou não fazer a minha parte corretamente.Me encontrei na Umbanda, amo a religião, mas essa é uma questão que me vem me pertubando...
por

4 Respostas

0 votos
Olá, Amanda.

O uso do fumo é adequado desde que a entidade trabalhe com ele. Nem todas trabalham. É uma forma de extrair energia e que tem sua função e utilidade. Eu, assim como você, não tenho apenas asco, como tenho rinite. Até a defumação me perturba.

Porém, quando sinto a aproximação do espírito e sua energia, isso se transforma magicamente e até salivo quando sinto o cheiro de cigarro de palha. Quando o efeito passa, o asco volta.

Acredito que como médium iniciante você deva deixar o espírito trabalhar do jeito que quiser, sem tentar interferir, até mesmo por que o fumaça não é tragada, fica apenas na boca e, retirando o espírito a energia, você não terá com o quê se preocupar.
por
0 votos
Boa tarde Amanda, por muitas vezes já me perguntei sobre isso,  como o fumo e a bebida podem ser usadas no atendimento e o que me foi passado é que esses elementos ajudam a volatizar energias impregnadas no entorno da pessoa que está sendo atendida e no ambiente. Não suporto o fumo e bebida também, mas aprendi a acender o charuto, o cigarro e não tragar, coloco ao lado e ele queima sozinho, as vezes preciso acender de novo, mas só isso. No caso da bebida igualmente, limito-me a provar e deixo ao lado também. O respeito das entidades conosco é imenso, mas sei da importância dos elementos nos trabalhos da Umbanda.
Espero que tenha ajudado, relato a minha experiência.
por
0 votos
Olá , na minha casa tem medium que nao pode beber e o próprio sacerdote pede aos cambones que nao permitam que lhe sirvam esse elemento , espero que o dirigente da sua casa tenha esse cuidado e bom senso. Os elementos tem fundamentos sim, mas há casos e casos.
por
0 votos
Como vc mesma disse amiga, vc está no início de um desenvolvimento mediúnico.

 5 meses é muito pouco para você saber como irá trabalhar e se realmente eles usariam ou não.
 Se eu puder lhe dar um conselho, eu faria o seguinte:

 Primeiro - Espero que esteja fazendo desenvolvimento em uma casa que tenha estudo teórico e prático. Principalmente o lado teórico. Um cronograma de estudos é o principal reforço para o médium, que muitas vezes jogado na gira para desenvolver é um perigo eminente!

Segundo: O uso do fumo, não é para "alimentar" o ego da entidade ou mesmo para ela "matar" a saudades do fumo, enquanto vivia. O uso do Fumo é justamente utilizar o elemento vegetal que está naquele charuto, cigarro de palha ou no fumo do cachimbo do preto/a velho/a, além de utilizar o elemento fogo (queima dessa erva), o elemento ar para que essa "fumaça" que nada mais, nada menos é uma defumação , onde atuará no campo espiritual do consulente. Essas ervas tem o poder de diluir, destruir, desintegrar miasmas, larvas astrais (que são substâncias impregnadas no perispírito do consulente, resultado de pensamentos negativos, energias mentais baixas, energias direcionadas de demandas etc que ficam como sujeira nessa aura, nesse perispírito que apenas quem possui vidência, consegue enxergar).

 Agora, se vc já tem essa trava resultado do que sua mãe passou, posso afirmar que existe uma diferença enorme em viver de cigarro pelo vício e trabalhar espiritualmente em prol do bem ao semelhante.  Eu por exemplo odeio cigarro, algumas entidades sim atuam com cigarro e em nenhum momento eu tenho vício de fumar fora do terreiro. Garanto que o vício em fumar não nasce da experiencia com a sua entidade trabalhando.

 Mesmo assim, não existe só essa forma de trabalhar. Sua entidade pode muito bem usar um defumador se for o caso, receitar uma defumação em casa, um incenso, ou mesmo atuar energeticamente de outra forma.

 Pode-se desintegrar larvas e miasmas com batidas de folhas, com o passe energético, com combinações de ervas  e água, que são os banhos. Eu mesmo conhecia uma entidade que intuiu seu filho a fazer um banho de descarrego com certas ervas e colocou em um borrifador e aplicava nos filhos que haviam necessidade de tal limpeza.
(Nesse caso de ervas, cuidado para não generalizar e portanto estudar muito, por isso recomendo toda literatura ou palestras e cursos do Adriano Camargo, muito conhecido e profundo conhecedor das ervas na Umbanda).

 Enfim....se liberte dos medos e boa sorte.  Axé!
por (356 pontos)
541 perguntas
1,155 respostas
4,532 comentários
3,119 usuários