0 votos
Quando criança tinha um "amigo invisível" que me acompanhou até a adolescência. Minha vida nunca foi muito coerente, mas esse meu amigo me confortava e de algum modo insistia para eu não desistir. Sempre vivi uma guerra espiritual, nunca fiquei muito tempo em nenhuma igreja, pois sempre senti que faltava algo. Nunca me senti parte integrante de um ministério, na verdade nunca me senti desse planeta. Depois de vários acontecimentos, vi minha vida sair completamente dos trilhos. Meus sonhos se tornaram pesadelos, tudo que ansiava se perdeu. Tudo que restou foram lamentações. Por muito tempo vaguei perdida na vida, mas as experiências que denomino sobrenatural sempre estiveram presentes. Até que as estratégias do universo me guiaram a um terreiro de Umbanda.  Na verdade fui no desespero, porque minhas visões não se limitavam mais as imagens e cenas, nem tão menos as "manifestações", algo estava tenso, eu começava a sentir algo difícil de descrever, um misto de frio e calor, arrepios, sentimentos diacrepantes, um desejo de escrever palavras que não saíam de mim, outras vezes parecia desmaiar, mas sempre consciente, e ainda assim dizia coisas que não era eu quem falava. Pensei que ia surtar, que ia parar em um manicômio. Por um tempo tentei compartilhar essas "coisas" com as pessoas, mas diziam que eu precisava de tratamento psicológico, então fiz terapia por anos, mas eu fazia o papel da terapeuta, tanto que chegou um momento em que eu nem mais pagava, o terapeuta ansiava os dias da consulta, para que eu pudesse ouvi-lo e conversar. Sempre foi assim comigo, meus problemas e dificuldades sempre me sufocaram, mas sempre viram em mim um porto seguro para se abrir e falar da suas dores. Por algum motivo eu passo essa confiança e por respeito prefiro esquecer o que escuto (imagino que inconscientemente seja assim). Mas chegou um momento que tudo ficou evidente, eu "saia de mim" em qualquer lugar, ai um dia aconteceu na casa de uma pessoa que disse que eu "fiquei fora por um longo tempo", conversando normalmente com ela. Na verdade me lembro da cena, mas foi como se eu estivesse sentada ao lado de mim mesma. Como se meus pensamentos e sentimentos estivessem em repouso, não sei bem descrever. Mas essa pessoa me indicou ir a um terreiro de umbanda. Fui e me identifiquei. No terreiro eu me sinto leve, como se aquela energia fosse de fato a energia da minha essência. Eu nunca fui adepta de imagens, rituais, rezas... Fui batizada na infância na igreja católica mas nunca frequentei. Na adolescência por opção me batizei na igreja evangélica. Buscava de todas as formas "ser normal". No umbanda tive (e tenho) certas resistências, que vão se dissipando pouco a pouco, a cada experiência vivida. Hoje eu divulgo a umbanda como a religião que me abraçou, me acolheu, mas nunca consegui fazer perguntas nas consultas. Sempre que entro no terreiro choro compulsivamente, me sinto egoísta, como se meus problemas não tivessem peso ali, como se apenas minha essência importasse. Nos dias de giras eu não gosto de ir, mas sempre que me sinto sobrecarregada e sem esperanças eu vou, mas não consigo dominar as energias que me tomam e sempre "passo vergonha".Ao final sempre escuto comentários que me deixam intrigadas.Sempre sou convidada a estudar e desenvolver a mediunidade, mas sempre acaba surgindo algo que não dá para conciliar com os dias dos estudos. Sei que preciso aprender mais, quero estudar sobre o umbanda e cumprir com as responsabilidades que assumi. Consigo fazer isso de casa? Quais livros podem me auxiliar? Desde já agradeço.
por

1 Resposta

0 votos
Umbanda se aprende com vivencia no terreiro, com um pai de santo, e com os guias, sozinho vc não vai ter como se desenvolver pois é necessário sempre ser desenvolvido por alguém mais preparado que vc. Um médium iniciante que "pega espírito" sozinho em casa corre um sério risco. Não faça isso, e procure um terreiro sério para ter seu desenvolvimento no local apropriado.
por
Na verdade, pela sua mediunidade bem aflorada como condiz seu relato, o melhor seria você conversar no terreiro para quando encorporar, alguém vir conversar com seu guia que se manifestar e pedir o auxilio dele, preferencialmente um médium experiente para ter essa conversa com ele e ver qual a melhor solução para sua dúvida. Desenvolvimento em terreiro é importante sim mas não deixe de confiar nos guias que se manifestam em você, pode acontecer de você ter uma missão diferente, talvez fora de terreiro, talvez não. Mas isso o guia tem que te auxiliar para você não tomar uma decisão errada ou precipitada. mas a escolha final é sempre sua.
549 perguntas
1,169 respostas
4,547 comentários
3,540 usuários